eCommerce

Consumidores questionam-se sobre segurança de pagamentos

Depois do Natal e Ano Novo, a época de promoções em janeiro é outro momento crítico para a ocorrência de ciberataques focados no roubo de dados bancários de consumidores.

As compras online durante a época festiva do Natal e Ano Novo são uma das atividades mais populares na Internet, e por isso são foco  de ciberataques. O relatório da Kaspersky Lab “From festive fun to password panic: Managing money online this Christmas” confirma isso mesmo.

Fazer compras pela Internet pode ser bastante apelativo, mas muitos dos consumidores se questionam sobre a segurança no pagamento dessas compras. Dos 32% de consumidores entrevistados a nível mundial, vítimas de ciberataques a quem foram roubadas credenciais financeiras, 26% nunca voltou a recuperar o seu dinheiro, de acordo com o questionário realizado pela Kaspersky Lab.

Um dos fatores capaz de colocar as finanças dos consumidores em risco é a dificuldade de manter controlo sobre a dispersão de dados de autenticação para pagamento, quando usados em diversas lojas de de eCommerce, e através múltiplos de métodos de pagamento.

Apesar dos vários sistemas de segurança mais de metade das pessoas (54%) está preocupada com o facto de os hackers poderem aceder aos seus dados financeiros. Não a obstante, 36% dos inquiridos à escala mundial não se lembra dos websites ou apps onde já inseriram os seus dados. Muitos nem se esforçam por se lembrar. Tentam garantir que as suas credenciais de pagamento são fáceis de recordar e encontrar, pelo 20% prefere guardá-las nos seus dispositivos.

Contudo, se os dispositivos forem roubados ou perdidos, os consumidores correm o risco de perder não só as suas informações pessoais como o seu dinheiro: pessoas potencialmente desconhecidas e mal intencionadas passam a poder ter acesso à conta bancária, caso encontrem as credenciais de acesso memorizadas diretamente no website ou nas notas do seu smartphone.

Uma ampla variedade de métodos de pagamento digitais existentes dá aos consumidores a liberdade de optar pela forma que melhor lhes convém para adquirir produtos ou serviços. No topo das preferências continua a estar o pagamento através de cartões de débito e crédito. Seguem-se as transferências diretas entre contas bancárias e e-wallets, tal como o PayPal.

Contudo, outros métodos de pagamentos estão a crescer em popularidade. Graças aos smartphones e aos smartwatches, os consumidores não necessitam de andar acompanhados da sua carteira, dinheiro físico ou cartões de plástico para fazer compras.

A realização frequente de compras permite aos consumidores colecionar pontos através de campanhas de fidelização e utilizá-los mais tarde para comprar novos artigos, o que promove também a dispersão de dados e dificulta o controlo sobre os mesmos.

“Devemos estar bastante atentos aos nossos dados financeiros e aos pagamentos online, evitando colocar as nossas credenciais de acesso em sites nos quais não confiamos e realizar pagamentos em dispositivos pouco seguros”, recomenda Marina Titova, responsável pela área de marketing de produto para o consumidor da Kaspersky Lab.