Empreendedorismo

Revolut angaria investimento de 500 milhões de dólares

Fundadores da Revolut - Nik Storonsky e Vlad Yatsenko

O maior investidor nesta ronda foi a norte-americana TCV. Vários parceiros reforçaram a participação na empresa.

A Revolut anunciou a captação de 500 milhões de dólares (cerca de 455 milhões de euros) em investimento na série D, numa ronda liderada pela investidora norte-americana TCV. O total de investimento captado até ao momento ascende a 836 milhões de dólares (cerca de 761 milhões de euros).

Segundo informação disponibilizada pela fintech, este valor permite avaliar o negócio em 5,5 mil milhões de dólares (5 mil milhões de euros). Participaram nesta nova ronda de investimento a já referida TCV, mas também vários investidores já existentes.

Segundo a mesma informação, a Revolut “usará o capital para fortalecer ainda mais a oferta nos mercados existentes, desenvolver operações bancárias na Europa e aumentar o engagement dos utilizadores com a app“.

A plataforma financeira conta atualmente com mais de 10 milhões de utilizadores. Em 2019, o número de clientes da Revolut aumentou 169%, o número de clientes ativos diários disparou 380% e as receitas de 2018 cresceram 354%.

Mais detalhadamente, a Revolut explica que o novo investimento irá permitir “focar-se na experiência do cliente, fortalecendo as principais ofertas nos segmento B2C e B2B, nos mercados existentes, com foco especial no desenvolvimento de produtos que ajudem a promover o uso diário das contas”.

“Os planos futuros incluem crédito para clientes de retalho e de business, estendendo o produto de depósitos remunerados com juros altos a outros mercados – atualmente apenas disponível no Reino Unido. Servirá ainda para prosseguir o investir na melhoria do serviço de apoio ao cliente e implementação operações bancárias em toda a Europa.

A Revolut vai concentrar-se ainda no desenvolvimento dos planos de subscrição Premium e Metal, que incluem benefícios como câmbio ilimitado, acesso a Salas Vip nos aeroportos, compra e venda de ações sem comissão, seguro de viagem, entre outros. Este tipo de plano de subscrição cresceu 154% no ano passado.

O investimento na expansão da força de trabalho vai igualmente ser reforçado. Atualmente, a empresa emprega mais de 2000 pessoas e, em 2019, nomeou vários gestores séniores, a fim de ampliar a equipa de governação. É o caso de Martin Gilbert, ex-co-diretor executivo da Standard Life Aberdeen, que se tornou presidente do Conselho. Foram também nomeados como diretores não-executivos Caroline Britton, ex-partner da Deloitte, e Bruce Wallace, ex-diretor de operações do Silicon Valley Bank, durante 2019.