Transportes

Metro do Cairo reduz fraudes e custos com solução de bilhética

Bilhética Indra no Metro do Cairo

A Indra firmou um novo contrato com o metro do Cairo. Será responsável pela manutenção do sistema de bilhética por mais cinco anos

A Egypcian Company for Metro Management & Operation (ECM), a companhia que opera o Metro do Cairo, no Egipto, reduziu o número de fraudes, os custos de exploração e manutenção da bilhética, após a implementação de uma solução da Indra.

A Indra implementou os sistemas de controlo de acessos e venda de bilhetes das linhas 1 e 2 do metro da capital egípcia em 2013. A empresa portuguesa irá agora continuar a dar suporte ao sistema por mais cinco anos, numa adjudicação que representa mais de sete milhões de euros.

A solução global de emissão de bilhetes sem contacto da Indra integra todos os módulos de controlo de operações e vendas, permitindo ao Metro do Cairo adaptar a sua oferta às necessidades dos utilizadores e oferecer-lhes um melhor nível de serviço, com um menor custo de uso e manutenção, explica a Indra em comunicado.

Com o novo contrato, agora firmado, a “Indra reforça a sua relação com a companhia que opera o metro do Cairo, assim como a sua posição no Egipto, um país com um grande potencial de crescimento, com megaprojetos de infraestruturas de transportes e de implementação das TIC”, avança a empresa em comunicado.

Em Portugal, a Indra foi responsável pela implementação do sistema de bilhética sem contacto nas estações do Metro de Lisboa.

A solução de bilhética sem contacto implementada pela Indra centraliza e integra todas as operações e módulos de vendas. Deste modo, o Metro do Cairo “dispõe de maior controlo, acesso a informações e flexibilidade para se adaptar às necessidades e hábitos de uso dos utilizadores, o que resulta num aumento na qualidade do serviço e num menor custo de exploração e manutenção dos sistemas”.

Acresce ainda que o Metro do Cairo “passou a ter um maior controlo das suas receitas e, graças à automatização dos processos, são evitadas falhas humanas e reduz-se significativamente qualquer possível fraude. O centro de controlo de bilhética criado pela Indra facilita a gestão integrada das duas linhas e está preparado para a integração da linha 3, que a Indra está atualmente a concluir, e a possível incorporação de novas linhas no futuro”.

Com este negócio, a Indra reforça a sua posição no Egpito, um país com grande potencial de crescimento, com importantes megaprojetos de infraestrutura de transporte e a implementação de TIC planeados”. Os destaques vão para a construção sob o canal de Suez dos túneis de Ismailía, cidade para a qual está também previsto um centro tecnológico; o comboio de alta velocidade entre Cairo e Assuão; as infraestruturas associadas à nova capital administrativa que o governo egípcio pretende impulsionar perto do Cairo; ou o plano de desenvolvimento da região mineira do Triângulo Dourado, na costa do Mar Vermelho.

A Indra tem produtos e projetos implementados nos metros de Madrid, Barcelona, Amsterdão, Salónica, Santiago do Chile, Calcutá, Bombaim, no comboio de St Louis, nos comboios de Buenos Aires, na ferrovia suburbana do México DF ou no elétrico de Sètif na Argélia, entre outros.