Meios de Pagamento

Levantamentos e compras caem 46% durante o estado de emergência

Levantamentos e compras caem 46% durante o estado de emergência
Os portugueses terão levantado menos 34 milhões de euros por dia e efetuado menos 56 milhões de euros de compras durante o estado de emergência, indicam dados divulgados pelo Banco de Portugal. De acordo com a instituição, a pandemia de COVID-19 está a ter um “impacto significativo na atividade dos agentes económicos nacionais, sejam eles consumidores, empresas, bancos ou organismos da Administração Pública”.

O Banco de Portugal recorre à utilização dos vários instrumentos de pagamento para ilustrar esta queda e afirma, em comunicado, que em março de 2020 ocorreu “uma redução sem precedentes na utilização de cartões de pagamento”.

De acordo com o Banco de Portugal, no passado mês de março, foram efetuadas 167,4 milhões de operações com cartão, no valor de 9,2 mil milhões de euros. Estes números correspondem a decréscimos de 19,4% em número e de 10,2% em valor face ao período homólogo.

Já os levantamentos de numerário diminuíram 31,5% em número e 20,4% em valor, tendo sido realizadas apenas 25,9 milhões de operações, no valor de 1,9 mil milhões de euros. As compras diminuíram 19,7% em número e 16,2% em valor, para um total de 86,9 milhões de operações em março de 2020, no valor de 3,3 milhões de euros.

Olhando apenas para o período do estado de emergência – entre 19 de março e 20 de abril -, os dados do banco central mostram que se estima que “o montante dos levantamentos e compras tenha descido 46%” e que, “em média, os portugueses terão levantado menos 34 milhões de euros por dia e efetuado menos 56 milhões de euros de compras”. A redução das transações com cartão verificada ao longo deste período equivale a 1,4% do produto interno bruto (PIB) de 2019.

Por outro lado, o Banco de Portugal destaca a evolução positiva das compras com cartão efetuadas com recurso à tecnologia contactless, que aumentaram 60% em número e 115% em valor. As compras online aumentaram 11% em número, embora tenham descido 11% em valor.