Cultura

Trust organizations – Quando é a confiança que move a organização

Trust organizations

Trust organizations – Quando é a confiança que move a organização

A Confiança é um exemplo completo de um «universal humano» e está na base dos processos de interação e transação que produzem um grupo, uma organização, um produto, um serviço ou uma sociedade. Sem ela qualquer organização humana acabaria por colapsar! É o que nos diz Paulo Finuras professor de Comportamento Organizacional no Instituto Superior de Gestão (ISG) e especialista no domínio da gestão intercultural, do Fator Confiança na Liderança e da Bioliderança.

Para a organização do futuro a confiança é um elemento-chave da cultura organizacional. Afinal, as organizações são feitas de e por pessoas e a confiança é o «fermento» que torna sólidas as relações interpessoais.

Uma trust organization «é feita de pessoas confiáveis, que trabalham juntas num ambiente que estimula e reforça ativamente a confiança entre colaboradores e restantes stakeholders».

E como trabalhar a confiança? Precisamente através da aposta no conhecimento e na colaboração entre as pessoas da equipa. Este é um ponto de partida sólido na construção de uma organização assente na confiança.

As trust organizations estão empenhadas em incorporar a confiança na sua vida diária e conhecer os impactos e transformações que tem nas suas pessoas e no negócio de forma ativa e sistemática. Para isso avaliam os níveis de confiança, desenvolvem métricas para a quantificar e monitorizar.

De que é feita uma trust organization? Eis algumas pistas:

Ganhos significativos de produtividade, retenção de talento, melhorias na gestão de situações de crise e na comunicação são alguns dos benefícios de uma cultura de confiança. Já a desconfiança pode ser desastrosa. Pode criar ambientes de trabalho disfuncionais, além de poder ter ainda um elevado custo financeiro e reputacional.

Artigo RHBIZZ