Sustentabilidade

BPI: um banco cada vez mais amigo do ambiente e certificado

BPI

BPI: um banco cada vez mais amigo do ambiente e certificado

Os bancos estão a tornar-se cada vez mais verdes, por fora, nos produtos que oferecem e por dentro, na sua gestão interna. Um dos principais indicadores dessa sustentabilidade está na gestão eficiente que fazem da energia que utilizam e no seu contributo e compromisso para a neutralidade carbónica.

O BPI anunciou recentemente que consome 100% da energia elétrica no continente a partir de fontes renováveis. Um pequeno grande passo para receber a certificação do Sistema de Gestão Ambiental (SGA) atribuída pela consultora internacional Bureau Veritas à atividade bancária e de suporte no edifício da Casal Ribeiro, em Lisboa. Uma certificação que retrata o seu compromisso de melhoria contínua do desempenho ambiental.

Esta certificação vem comprovar a efetiva implementação e conformidade do SGA com a Norma Internacional ISO 14001:2015, a qual permite que as empresas demonstrem o compromisso com a protecção do ambiente através da gestão dos riscos ambientais associados à respetiva atividade.

Ao assumir um compromisso ambiental alinhado a norma ISSO mencionada, além da redução do impacto ambiental procedente da sua atividade, o BPI procura reforçar a reputação em matéria de sustentabilidade do banco. Na prática o compromisso com a gestão de um SGA significa um processo de melhoria contínua através da monitorização constante de indicadores de desempenho e na aplicação das melhores técnicas disponíveis para tornar os processos operacionais mais ecoeficientes.

Segundo o BPI a implementação do SGA «foi um importante passo na forma como avaliámos os impactes ambientais causados pela operação da atividade bancária e os progressos alcançados, nomeadamente o consumo de 100% da energia elétrica no continente a partir de fontes renováveis, a redução significativa do consumo de papel, água e energia através da monitorização e gestão centralizada de zonas de ineficiência. De destacar também, a melhoria da gestão de resíduos e uma mobilidade mais sustentável, e a nossa contribuição efetiva para a neutralidade carbónica de Portugal já em 2021».

Este Banco pretende igualmente alargar e envolver nos seus objetivos ambientais toda a cadeia de valor e contribuir assim, para comportamentos ambientalmente mais sustentáveis ao nível dos seus colaboradores, clientes, fornecedores e parceiros. Simultaneamente, está também empenhado em desenvolver produtos e serviços financeiros que incluam critérios ambientais e na análise do risco ambiental inerente às operações de crédito.

Com a ambição de ser uma das referências no setor bancário em termos de reporte, diferenciação de produtos e serviços e de inovação em práticas ambientais e sustentáveis, o Banco pretende em 2022 estender esta certificação a outras instalações.