comércio eletrónico

Geo-localização pode acabar no comércio eletrónico europeu

E-commerce criou “consumidores sem fronteiras”

A Comissão Europeia quer terminar com os sistemas de geo-localização atualmente existentes e que acabam por limitar ou mesmo impedir o acesso a certos sites de comércio eletrónico.

Na verdade, muitas vezes este sistema acaba por reenviar os consumidores para versões locais dos sites onde há menos produtos ou onde estes são mais caros.

A ideia que está na base desta medida é tornar as compras pela Internet mais fáceis e baratas para os 500 milhões de consumidores da União Europeia, em especial no âmbito dos sites não europeus, de que é exemplo a Amazon.

A medida, que surge integrada num pacote mais vasto, visa dinamizar o mercado digital europeu que, segundo dados da própria Comissão Europeia, tem crescido menos do que outras zonas do globo.

O pacote agora proposto pela Comissão carece ainda da respetiva aprovação por parte dos 28 Estados-membros, reunidos em Conselho Europeu, e também pelos eurodeputados.