cartões

Portugueses trocam dinheiro por cartões nas compras do dia-a-dia

Male Close-up electronic payment hand cell phone market

Ir ao supermercado, comprar roupa ou calçado, abastecer o automóvel de combustível ou ir ao restaurante são tarefas frequentes na vida dos portugueses e cada vez mais apoiadas pela utilização de cartões de pagamento.

Uma análise encomendada pela Visa, e divulgada pelo Diário de Notícias, revela que 91% dos portugueses não saem de casa sem os seus cartões de pagamento e 64% dos inquiridos escolhe esta opção para pagar os serviços que usa no dia-a-dia.

Entre consumidores com 26 a 45 anos de idade, a tendência é ainda mais vincada e sobe para 68%, o número dos que já trocaram definitivamente o dinheiro pelos cartões. As operações onde o “dinheiro de plástico” é claramente preferido, em comparação com a média nacional, são as já referidas idas aos supermercado, restaurante ou bombas de gasolina, por exemplo.

O estudo foi realizado pela Advanced para a Visa, através de inquéritos online realizados em dezembro do ano passado a 502 consumidores, com idades entre os 25 e os 55 anos. As conclusões a que chega são idênticas às que já tinham sido evidenciadas pelo relatório Sistemas de Pagamentos 2016, do Banco de Portugal.

No documento, era destacado o crescimento de 6,7% das operações realizadas através da rede multibanco, que no final do ano já representava 86% dos pagamentos processados pelo Sistema de Compensação Interbancária. Em particular, as compras realizadas através desta rede cresceram 9% no período em análise.

A pesquisa realizada pela Advanced identifica ainda os locais ou serviços onde os consumidores gostariam de ver implementadas tecnologias de pagamento contactless (sem contacto), já suportadas por muitos cartões de débito.

Quarenta e um por cento dos inquiridos indicaram que gostariam de gozar desta possibilidade no pagamento de transportes públicos. Bombas de gasolina (38%), cafés, bares e restaurantes (34%), lojas de comidas e estacionamento (32%) são outros serviços onde a possibilidade é vista com bons olhos.