bancos

Bancos querem reforçar aposta nos pagamentos digitais

Estudo GfK: Fidelização do consumidor em declínio

Todos os bancos oferecem hoje opções de pagamentos nos seus canais digitais. O homebanking é a via mais comum para realizar operações deste tipo, com 81% das instituições a garantirem a possibilidade, mas a emissão de cartões virtuais começa também a ser uma prática comum no sector.

Dados compilados no último Relatório de Supervisão Comportamental do Banco de Portugal, relativos a 2016, mostram que 56% das instituições já emitem este tipo de cartões. Outra opção que concorre para o mesmo fim são as carteiras digitais online (online wallets), que embora de utilização residual prometem vir a ser uma aposta cada vez maior da banca.

O relatório do BdP integra as respostas a um questionário que pretendeu fazer um primeiro levantamento sobre a digitalização dos produtos e serviços bancários em Portugal, onde se revela que a opção das online wallets, por enquanto, é uma realidade apenas para 3% das instituições, mas 38% têm planos para avançar no mesmo sentido.

O espaço ocupado pelas aplicações móveis na estratégia de interação digital dos bancos com os seus clientes é cada vez maior e este canal também é cada vez mais uma opção para fazer pagamentos. É já assim em mais de metade das instituições do sector, de acordo com as respostas das 34 instituições que participaram na sondagem.

Na maioria dos casos a possibilidade é disponibilizada através de aplicações criadas pela própria instituição (56%), uma intenção que também está nos planos de 25% das instituições que ainda não oferecem essa opção.

As mobile wallets são outra via possível para o mesmo fim, mas usada ainda de forma residual (3%), embora também neste domínio as intenções de investimento da banca sejam elevadas, com 41% das instituições inquiridas a admitirem planos para investir.