compras

PayPal alargou áreas de proteção de vendas online em Portugal

ecommerce

Desde a semana passada que a PayPal alargou as áreas de proteção de vendas online para os vendedores online portugueses. Este programa prevê que caso os vendedores recebam um pagamento não autorizado – de uma conta pirateada, por exemplo – ou no caso do comprador alegar que não recebeu o produto, a PayPal assume a totalidade da despesa.

Até agora este programa da PayPal só era válido para bens tangíveis, mas agora aplica-se também a serviços, bilhetes e viagens.

“A segurança é a chave do modelo de negócio da PayPal. Saber que se está protegido deveria ser um requisito básico ao comprar e ao vender online, por isso este é um passo extremamente importante para o desenvolvimento do ecommerce em Portugal”, salientou o diretor de vendas e desenvolvimento de negócio da PayPal Portugal, Miguel Fernandes.

Um em cada três portugueses já faz compras através da internet, de acordo com o estudo da ACEPI e da IDC apresentado no ano passado. O valor duplicou desde 2010 e só não é maior porque ainda há um grande número de portugueses que não têm acesso à internet – cerca de 30% da população – e porque ainda existe alguma falta de confiança nas compras realizadas online.

Este é um problema que nos últimos anos tem sido mitigado com a aposta em iniciativas como o Confio.pt, em sites com maior segurança, em sistemas de pagamento mais cómodos e numa evolução de toda a cadeia de valor do ecommerce – que inclui por exemplo as empresas de logística.

Uma das empresas que mais contribuiu para o aumento de confiança no comércio eletrónico foi o PayPal, através da criação de um sistema de devoluções para os consumidores em caso de algo correr mal no processo de compra online. Esta mesma funcionalidade também ajudou o PayPal a “agigantar-se” no comércio online quando o ecommerce ainda estava a atingir um estado satisfatório de maturação.

De acordo com valores divulgados pelo próprio PayPal em comunicado, só em Portugal a plataforma de pagamentos digitais tem 500 mil utilizadores e 84% de todos os portugueses que fazem compras internacionais online usam o PayPal como sistema de pagamento. Em todo o mundo a empresa tinha até ao final de 2016 mais de 197 milhões de utilizadores ativos.

Mas o PayPal não atingiu este estatuto apenas ao garantir a confiança do lado dos consumidores, também teve de fazê-lo do lado dos vendedores.