Estudo

Pagamentos móveis ganham peso em viagens a trabalho

Viagens

A pesquisa International Travel Management Study, da AirPlus International, revela que as empresas que mais gastam com viagens são as mais recetivas para os novos sistemas de pagamentos. Nas organizações com orçamentos anuais direcionados a viagens superiores a 10 milhões de euros, 32% dos gestores de viagens revelam abertura para usar opções como o Apple Pay, Android Pay, PayPal, WeChat ou Alipay.

Numa perspetiva mais geral, a situação altera-se e embora 44% dos viajantes de negócios mostrem vontade de usar os meios de pagamento de nova geração (a mesma percentagem que indica já os ter usado enquanto viaja a trabalho), só 19% dos gestores de viagens admitem recorrer a este tipo de opções.

Ainda assim, a edição de 2017 do estudo revela um crescimento da aceitação destas alternativas e também mostra que o recurso a cartões virtuais cresceu de forma significativa. Em 2016 era um recurso apenas para 1% das organizações entrevistadas e é agora uma alternativa para 11%.

Nos 24 países abrangidos pela pesquisa também foi possível apurar diferenças significativas entre países na adoção destas novas tecnologias. A China lidera no recurso aos pagamentos móveis em viagens profissionais (91%). A Europa Ocidental é a região do globo onde as reticências relativamente a estas alternativas tem mais peso. Só 28% de quem viaja a trabalho usa estes serviços.

Quem não concorda com estas opções preocupa-se, sobretudo, com questões de segurança, como alegaram 33% dos participantes. A falta de informação é outro aspeto destacado, neste caso por 24% dos inquiridos.

Curiosamente, a segurança também é o aspeto mais destacado por quem é apologista dos novos meios de pagamento: a segurança dos pagamentos é uma vantagem apontada por 49% e a segurança dos dados por 38 por cento.

Os cartões de crédito da empresa continuam a ser a escolha mais frequente para suportar despesas em viagens profissionais, apontada por 63% dos participaram na pesquisa (em 2016 angariou 66% das respostas). O dinheiro e o cartão de crédito pessoal ou o reembolso de faturas são as opções que se seguem em termos de popularidade.

O Estudo da AirPlus foi realizado através de entrevistas a 2.270 pessoas que viajam em negócios e a 1.000 travel managers.