bancos

A indústria dos pagamentos tem de reforçar a segurança

Ao longo da última década, os ciberataques tornaram-se mais sofisticados, rápidos e escaláveis, e sobretudo mais especializados na exploração dos sistemas de pagamento.
A mesma tecnologia que ajudou a mudar a indústria dos pagamentos também ajudou a alimentar a complexidade das fraudes, exigindo uma resposta cada vez mais adequada – a fraude nos pagamentos tornou-se um problema mundial na ordem dos 20 mil milhões de Euros (23 mil milhões de dólares) para as instituições financeiras, enquanto o mercado de deteção e prevenção de fraude está avaliado em 28,49 mil milhões de Euros (33,19 mil milhões de dólares) até 2021.

Os desafios e oportunidades nos serviços de prevenção e deteção de fraude estão a crescer de forma exponencial em novas áreas como os pagamentos instantâneos e as API bancárias em plataforma aberta. Além disso, a pegada digital dos clientes de serviços financeiros tem vindo a aumentar sistematicamente devido aos seus padrões de uso serem cada vez mais híbridos nos vários canais – cartão, internet e telemóvel.
Atenta a este contexto, a SIBS reconhece que o reforço da sua estratégia de segurança deve ser uma prioridade e implementou o PAYWATCH, o serviço de segurança anti-fraude – capacidades analíticas avançadas e de inteligência artificial da IBM.

“Estamos certos de que esta parceria, que junta duas empresas de referência como a SIBS e a IBM, irá resultar na oferta de um serviço de excelência que contribuirá para a redução dos níveis de fraude nos pagamentos”, afirma Madalena Cascais Tomé, CEO da SIBS.
A SIBS pretende proporcionar mais transparência em todas as operações de pagamentos, e detetar e evitar atividades fraudulentas sofisticadas. Ao fazê-lo, a IBM e a SIBS trabalharão em conjunto para reduzir o prejuízo para os clientes decorrente das fraudes, bem como o tempo de deteção das mesmas para um melhor desempenho financeiro das instituições e assegurar maior confiança entre aqueles que querem processar os seus pagamentos.

Para tal, a SIBS usará a solução Counter Fraud Management for Safer Payments da IBM, disponível na plataforma integrada de soluções Watson para os serviços financeiros, já utilizada por alguns dos maiores e complexos portefólios de pagamentos no mundo, com capacidades cognitivas únicas, algoritmos de machine learning e escalabilidade para uma maior precisão na deteção de fraude, reduzindo consideravelmente os falsos alarmes e os custos operacionais.
O IBM Counter Fraud Management for Safer Payments pode ajudar os clientes a economizar até 60 milhões de Euros por ano, e consegue executar em alta disponibilidade (99,999% de tempo de atividade) com milhares de transações por segundo mesmo em alturas de pico.

Ao monitorizar múltiplos canais de pagamento online em tempo real e vários players, a SIBS poderá melhorar o seu forte historial – garante atualmente em Portugal níveis de fraude 4 vezes mais baixas que a média europeia – e proporcionar maiores poupanças, ao identificar e encurtar os ciclos de deteção de padrões de fraude, ao reduzir o tempo e o esforço para atualizar os modelos existentes e implementar novos e ao permitir formas mais rápidas e mais eficazes de resposta, fortalecendo a experiência e a confiança do cliente.
Madalena Tomé explica que com este serviço one-stop-shop os players nos mercados nacional e internacional, sejam bancos, emissores de cartões, retalhistas, ATM, TPP (ThirdParty Payment System) ou gateways, estarão protegidos com as “soluções cognitivas mais avançadas e as equipas anti-fraude mais capacitadas, possibilitando pagamentos ainda mais seguros”.
A SIBS é um dos maiores processadores de pagamentos eletrónicos da Europa e da África, prestando serviços a mais de 300 milhões de utilizadores em mais de 12 mercados, contando anualmente com 3 mil milhões de operações financeiras no valor de mais de 4,5 mil milhões de Euros.