sustentabilidade

GoParity avança com app para investimentos sustentáveis

Nuno Brito Jorge, GoParity

A GoParity lançou uma app de crowdfunding. Novas funcionalidades serão implementadas até ao final do ano

A GoParity é uma plataforma de investimento em projectos na área da sustentabilidade. “Damos a qualquer pessoa ou empresa a oportunidade de fazer investimentos em projectos em que acredita e que tem um retorno financeiro associado”, explicou Nuno Brito Jorge, CEO da GoParity. “É forma de crowdfunding, por empréstimo”.

O SmartPayments News entrevistou o fundador da empresa durante a Web Summit, ocasião que a GoParity aproveitou para lançar oficialmente a sua app, gratuita, e já disponível para os principais sistemas operativos móveis. A GoParity pretende ser uma alternativa à banca tradicional para a gestão de dinheiro e investimento.

Smartpayments News: Como nasceu a GoParity?
Nuno Brito Jorge: A empresa nasceu há dois anos, mas a ideia já tinha surgido muito antes. Não havia, no entanto, regulamentação nacional para o crowdfunding. Surgiu com uma experiência pessoal.

Estive alguns anos a viver fora de Portugal, na Bélgica, e quando voltei, tinha dinheiro num banco ético [Triodos] em Espanha e na Bélgica. Como em Portugal não havia banca ética e sem saber o que fazer às minhas poupanças juntei-me com uns amigos e decidimos investir num projeto de energia solar.

Depois, descobrimos que não tínhamos dinheiro suficiente para o projeto que conseguimos montar e começámos a falar com amigos e família e rapidamente conseguimos encontrar pessoas interessadas. Correu bem. Em seguida montámos um segundo projeto, alargámos o âmbito e apercebemo-nos que podia haver um modelo de negócio.

Entretanto, tivemos um interregno durante alguns anos, a fazer outros projetos, enquanto o crowdfunding não era regulamentado.

Quando surgiu a regulamentação, em 2016, começamos a desenvolver a GoParity e entrámos online em Maio de 2017.

SP: Quais são as mais recentes novidades da empresa?
NBJ: Lançámos, durante a Web Summit, a nossa nova app para iOS e Android com quatro novas funcionalidades. Até agora eramos muito “português e desktop” e agora passamos para “english first e mobile first”.

A app apresenta um dashboard que permite ter com uma visão integrada da carteira de investimentos, e a possibilidade de se visualizar o impacto real do investimento realizado.

Nas próximas semanas, vamos lançar uma funcionalidade de poupança. Para ajudar as pessoas a poupar, através da criação de uma poupança automática na nossa plataforma. Cada um decide que pretende, por exemplo, poupar 20 ou 200 euros por mês, e nós ajudamos a trazer esse dinheiro para a nossa plataforma, para ir criando o seu mealheiro. Em que apenas uma parte é investida diversificadamente nos nossos projetos de sustentabilidade.

Outra proposta permite ao investidor optar por definir que montante precisa dentro de quanto tempo. Aqui fazemos a conta ao contrário e tentamos ir buscar mensalmente o dinheiro que terá de acumular, para ter a certeza que no ano previsto tem o montante disponível.

Estas funcionalidades estão em processo de finalização.

Vamos também expandir para fora de Portugal.

Teremos coisas ainda mais excitantes para lançar. Por exemplo, temos um projeto em avaliação que, a ser aprovado, nos levará a duplicar a equipa de IT.

SP: Que tipo de projetos já financiaram?
NBJ: Já financiamos projetos na área da energia solar, de eficiência energética, de mobilidade elétrica, moda sustentável, turismo sustentável. Agora estamos com uma campanha de financiamento para a produção de ostras, no estuário do Sado.

Os nossos critérios de seleção de projetos passam pelo alinhamento com os objetivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas, como alterações climáticas, combate à fome, educação. Toda uma panóplia de áreas. Já financiamos projetos em seis áreas diferentes, mas elas são 17. As Nações Unidas estima que é necessário um investimento de três triliões de dólares, anuais, para financiar os objetivos de desenvolvimento sustentável.

Há ainda muito para fazer. Mas a boa notícia é que há dinheiro suficiente no mundo, só não está a ser utilizado para os fins que devia. E uma boa parte está nas contas bancárias dos cidadãos.

SP: Como está a empresa hoje?
NBJ: Somos uma alternativa à banca tradicional, tanto para quem procura financiamento como para quem procura investir, com a nossa proposta de valor.

Temos mais de 4400 investidores, já financiámos 30 projetos sociais e ambientais no valor de mais de 1,5 milhões de euros. Até hoje tivemos zero falhas no pagamento. São empréstimos com capital em risco.

Não sendo uma garantia completa, temos algumas garantias. Por exemplo, se uma empresa comprar painéis solares com financiamento da GoParity, os painéis solares são dados como um colateral daquele empréstimo. Ou seja, se a empresa for à falência o dinheiro que é feito com a venda dos painéis solares só pode ser utilizado para pagar aos nossos investidores. A chamada dívida sénior.

SP: Quer deixar alguma última mensagem?
NBJ: Estamos a democratizar o acesso ao investimento. Não é preciso ser uma grande empresa para poder ganhar dinheiro com a sustentabilidade (ambiental, social e económica). Por isso se chama GoParity: por uma questão de paridade, trazer para toda a gente a oportunidade de investimento, económico porque também dá dinheiro e ambiental, afinal uma boa parte dos projetos que financiamos estão relacionados com a área da proteção e desempenho ambiental.

A GoParity é uma solução alternativa de investimento verde aos bancos tradicionais, licenciada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Criada para partilhar benefícios financeiros, sociais e ambientais com uma comunidade de empreendedores com preocupações de sustentabilidade, e investidores que procurem retorno na aposta em projetos de impacto.