Blockchain

Blockchain está a estimular inovação no setor financeiro

Os custos das operações bancárias e os processos de intermediação financeira estão a ser completamente redesenhados pelas novas soluções de pagamento sustentadas em blockchain.
O conceito de blockchain é simples e assenta numa base de dados descentralizada, ou seja, os dados relativos às transações são públicos – ainda que possam ser anónimos, dependendo da rede de blockchain usada.
A Mastercard é um dos grandes intermediários do mundo dos pagamentos digitais que não quer ficar fora do novo mundo blockchain, tendo decidido abrir a sua rede de blockchain aos bancos e comerciantes.
Através de uma interface de desenvolvimento de aplicações (API), a Mastercard coloca nas mãos dos programadores as ferramentas necessárias para integrarem a tecnologia de blockchain nos seus serviços.
“Queremos proporcionar escolha e flexibilidade aos nossos parceiros para que consigam usar sem problemas tanto os nossos sistemas de pagamento existentes como os novos, baseando-se nas necessidades e pedidos dos seus clientes”, referiu em comunicado o vice-presidente dos Mastercard Labs, Ken Moore.
Numa primeira fase o foco da Mastercard vai estar no segmento Business to Business (B2B) e vai acima de tudo tentar responder aos desafios da velocidade, da transparência e da redução de custos associados a transações internacionais de dinheiro.
Uma das características da rede de blockchain da Mastercard é que os detalhes da transação só podem ser partilhados pelos intervenientes dessa transação – mantendo assim o conceito de privacidade neste processo. No entanto, a cadeia de transações pode ser auditada para uma validação das transações em caso de desentendimento ou tentativa de fraude.