comércio

7 tendências da fraude financeira online

Quais são os padrões de fraude no comércio e transações online? A empresa portuguesa de inteligência artificial Feedzai, que trabalha com instituições financeiras na prevenção de fraude, identificou uma série de características únicas em 2017. A pesquisa da empresa revelou algumas tendências interessantes, num momento em que apenas 10% das instituições financeiras utilizam analítica com aprendizagem de máquina para orquestrar a autenticação dos seus utilizadores. A startup nacional, que no final do ano passado recebeu uma ronda de investimento milionária, está a trabalhar com cinco dos 25 maiores bancos mundiais.
Eis as tendências descobertas pela Feedzai Research:

1. Contas recentes
Os utilizadores fraudulentos gostam de contas novas. De acordo com os dados, a maioria das fraudes ocorre nas primeiras 100 horas após a criação de uma nova conta.

2. Reinício
Será com os especialistas tirarem conclusões deste dado, mas a verdade é que existe uma correlação entre a ocorrência de fraude e transações em dispositivos que acabaram de ser reiniciados. Ou seja, os utilizadores fraudulentos têm apetências por aparelhos que fizeram reboot recentemente.

3. Dígitos consecutivos
Não há grande surpresa aqui: os endereços de email que contêm dígitos consecutivos (como 1-2-3) são alvos preferenciais de fraudes.

4. Nome desconhecido
Outro padrão interessante é que os utilizadores fraudulentos normalmente não identificam o seu dispositivo. Isto é, os níveis de fraude são elevados quando o nome do aparelho é desconhecido ou inexistente numa transação móvel.

5. Email
A fraude financeira apresenta correlação com padrões de emails falsos. Um desses padrões é que as letras que compõem o endereço são as mesmas, por exemplo, aaaabbb@mail.com.

6. Bateria
Outra tendência interessante revelada pela pesquisa da Feedzai é que os utilizadores que cometem fraude financeira têm muita atenção à carga do smartphone. Isto porque 79% dos utilizadores de internet descarrega a aplicação móvel do seu banco, o que transforma este canal num meio propício. As taxas de fraude são mais elevadas quando os smartphones apresentam maiores percentagens de bateria.

7. Domínios de email
É possível concluir que os utilizadores fraudulentos têm preferência por domínios de email obscuros e/ou desconhecidos. Algo como “kennylucky.com” ou “maildropp.cc”, em vez dos populares gmail ou outlook, indica a Feedzai.